segunda-feira, janeiro 23, 2006

O quanto vale esta segunda volta (Parte I)

Hoje, na edição do programa grande-área, analisei, muito pela rama, as declarações de Augusto Inácio ditas no final do encontro que o Beira-Mar disputou frente ao Feirense. Issurgiu-se, Augusto Inácio, contra as arbitragens protagonizadas no Olhanense / Feirense; Feirense / Beira-Mar; e Maia / Olhanense. Neste jogos, a equipa de Olhão foi beneficiada com três (!) grandes penalidades a seu favor (duas diante do Feirense e uma no recente jogo frente ao Maia) enquanto que ao Beira-Mar foi escamuteado um penalty claríssimo por derrube de Semedo (Feirense) sobre Miran. Augusto Inácio lembrou, também, que o adversário do Beira-Mar será sempre aquele que jogou na jornada anterior com o Olhanense.
Ou seja, parece-me por demais evidente que a luta pelos dois primeiros lugares irá estar confinada a Beira-Mar, Olhanense, Aves, Portimonense e Leixões. Parece-me, também, que há um claro propósito nas altas instâncias do nosso futebol em que um clube algarvio suba à primeira liga. Fez bem, na minha opinião, Augusto Inácio em alertar para algumas "coincidências" que tendem a surgir com o aproximar do final de campeonato. O Beira-Mar luta deliberadamente pela subida de divisão, mas também pelo título de campeão nacional. A acompanhar Augusto Inácio deveria estar a direcção do Beira-Mar nesta luta de palavras. No futebol, quem berra mais alto costuma dar-se melhor.
Mas no programa também chamei a atenção para esta segunda volta do campeonato. É que destes adversários directos na luta pela subida de divião, o Beira-Mar só terá que se deslocar à Vila das Aves. Porque tanto Olhanense, como Portimonense e Leixões terão ainda que jogar em Aveiro. Para além do importante facto do Beira-Mar não ter perdido (empatou sempre) nas deslocações a Olhão, Portimão e Leixões. E basta ao Beira-Mar fazer melhor, ou na pior das hipóteses igual, àquilo aque Olhanense fizer na jornada anterior, para manter a distância sobre este adversário.
Julgo que será suficiente à equipa «auri-negra» manter o mesmo nível exibicional que tem vindo a fazer, ou seja ganhar em casa e empatar fora, para controlar os seus mais directos adversários. Agora, claro está, se quiser ter uma ponta final de cameponato sossegada terá forçosamente que ir conquistar vitórias fora de portas.
Os adeptos do Beira-Mar, que felizmente marcaram presença, em bom número, em Santa Maior da Feira também terão uma forte palavra a dizer quanto ao futuro da equipa.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial